À procura de temas

2 05 2008

Dizem que temos milhares de blogs sendo criados todos os dias, que não sei quantos atingem não sei outros números, que a margem de post é isto, é aquilo. Estatísticas.
O fato é que números se acumulam, mas nem sempre me dizem o teor, o conteúdo daquilo que é postado. E daí que meu blog não rende tantos comentários como gostaria? Ou, que eu não consiga postar tanto como eu gostaria? o fato é que para achar assunto para postar eu preciso ler, eu necessito fuçar o mundo, eu gosto de juntar fatos, de misturá-los, de tirar a última gota do sumo da notícia. Mas, infelizmente, não é todo dia que tenho essa inspiração.

Boa notícia: post novo! fresquinho, fresquinho. Sentem o cheiro?
Juntei algumas informações e a preguiça de ligar o computador e redigir um bom texto foi-se, talvez minhas atividades cerebrais resolveram funcionar depois de tanto pensar em círculos (gostei da expressão). Primeira notícia: “Juiz liberta hackers, mas impõe leitura de clássicos”, a história é a seguinte lá no RN três rapazes foram presos por práticas ilegais cometidas pela internet, porém, após dois meses presos foram liberados sob a condição de se matricularem em escolas, não frequentarem lan houses ou casas da luz vermelha e ainda, prestem atenção, terão de cumprir a pena: ler e resumir clássicos da literatura brasileira. Duas primeiras obras: “A hora e a vez de Augusto Matraga” e “Vidas Secas”. Opiniões?
Por um lado eu apóio a idéia de impor uma pena educativa para menores de idade, mas, por outro lado eu acho que deveriam mudar o conceito de ‘pena’, tanto porque conheço inúmeros jovens que não gostam de ler, principalmente nossa literatura, porque a escola ‘obriga’. Tudo bem que a linguagem de alguns é difícil, ou que seja difícil entender as várias figuras de linguagem e metáforas que sem o determinado contexto ficam impossíveis, mas é para isso que existe a escola.A gente deveria aprender a ler, senão nossos jovens cumprirão ‘penas’ desse tipo a cada semestre no ensino médio. Enfim, não vamos nos aprofundar nisso neste post.

A segunda notícia na verdade é uma compilação de comentários sobre a nossa querida mídia das últimas duas semanas. Primeiro de tudo, lamento mesmo a morte da menina que foi atirada da janela do prédio supostamente pelo próprio pai, ok. Descanse em paz… ops! Não dá! A televisão em todos os canais só sabe ter essa notícia! o caso que chocou o país! Fazer sensacionalismo tem seus limites. Do jeito que a coisa anda é melhor ter apenas um canal na TV, já que todos só sabem falar sobre a mesma matéria. Afinal, o que a mídia quer? sensibilizar a população para que se faça justiça e lancem uma pena perpétua para os pais ou quer mostrar que ela faz alguma coisa perante situações como essa? Eu, sinceramente, não sei a resposta.

Tudo o que sei é que às vezes quem não sabe mais o que dizer é melhor permanecer calado.