Com os pés no exterior

11 03 2010

Todo mundo diz que viajar para o exterior é algo extenuante, que ver pessoas como nós pensando em outra língua, compartilhando outra cultura nos faz pensar que o mundo é muito maior do que aquele em que nossa rotina nos coloca, e que ele é pequeno quando nos afeiçoamos tanto a um lugar que nos faz sentir como se estivéssemos em casa.

Desde que tinha 13 anos coloquei na cabeça que queria conhecer a Inglaterra, só não sabia responder o motivo da fixação ou quando isso seria possível. Então o velho clichê do “aproveitar a oportunidade” veio à tona e eu fui, pela primeira vez, conhecer o que há lá fora.

O combinado era encontrar meu querido namorado em Brighton (cidade onde a família real inglesa ficava nos veraneios), o engraçado era que o celular dele não conseguia me mandar mensagem e o meu a mesma coisa. Fomos eu e o Corvitcho perguntando para quem pudesse ajudar, e conseguimos chegar na estação – depois de deixar meu namorado tomando um chá de cadeira de 1h30.

O que falar de Brighton? Ela é uma cidade lar, dá para você estar passeando e sentir como se já a conhecesse há anos. Ela emana tranqüilidade, aconchego, hospitalidade e aquele arzinho britânico, mas de forma suave.

Passear pelas ruas naquele frio me fazia ter vontade de entrar em cada loja e perguntar a cada dono qual era sua história e a mais de tantas outras pessoas que cruzavam conosco. Ver como as mercadorias ficavam lá do lado de fora e ninguém tentar dar uma de malandro, poder experimentar chapéus em lojas de brechó, tirar fotos com placas engraçadas, ou simplesmente fazer nada e observar os transeuntes.

Eu não sou o tipo de pessoa que acha que tudo é melhor que o Brasil, mas aceitaria passar uma temporada nessa cidade longe do caos das cidades grandes e do sufoco de uma rotina de trabalho e estudo.

Recomendo Brighton e assino embaixo. Tem mais posts vindo aí!

Brighton - England

Is this hat fits me?

How do I look?

Do you want a piece of me?

Anúncios