Peripércias de fim de ano

15 12 2009

Eu não sei da onde as pessoas tiraram as chamadas simpatias de ano novo, só sei que desde quando eu me dei por gente a família toda se atrapalhava na hora da virada para escolher a bendita da simpatia que faria, e que traria no ano seguinte mais dinheiro no bolso, saúde para dar e vender, amor, prosperidade e saúde.

Comer sete uvas e guardar as sementes na carteira, pular sete ondas, pegar a nota mais alta de dinheiro e colocar no bolso, comer uma colher de lentilha bem na hora da virada, mandar barquinho para Iemanjá…  Foram tantas que eu nem sei dizer qual delas é a mais poderosa de todas. Mas, uma delas, a que eu achava a mais nada a ver de todas, foi uma que embaraçosamente eu fiz de 2005 para 2006 e que foi a que deu certo.

Quando a gente pensa em simpatia pelo menos eu penso assim, a gente tem que ter certeza de que ao fazer aquilo o desejo vai acontecer, essa simpatia eu duvidava muito, mas como era o ano em que eu estava prestando o vestibular – e cá entre nós vestibulando faz promessa até pra Deus mesmo sendo ateu – resolvi tentar.

O esquema era você tinha que achar a lua, a posição certa dela, mesmo entre nuvens (só não dá certo se ela estiver nova) depois, você tinha que mentalizar o pedido de querer dinheiro, no meu caso eu pedi uma vaga na USP, e então dar uma abaixada rápida nas calças e mostrar o bumbum pra lua. Pois é, foi ridículo, mas funcionou! =)

No calor da meia noite as pessoas com as taças de champagne nem ligam para o que você vai estar fazendo na virada, o esquema tem que ser rápido, porque aí dá tempo de você tentar algumas outras ao mesmo tempo, tipo, abaixe as calças com 7 uvas na boca, e depois pule sete ondas…. Que seja!

E vocês, quais foram as simpatias que deram certo na virada de ano?





Pauta de hoje: amor e amizade

16 01 2009

Estava sentada no trabalho ontem quando o celular tocou:

– Oi? Vânia?
– Sou eu, quem fala?
– É o Rubens do programa mulheres

Pensei, hã? E fui ouvir o que ele tinha a me dizer, uma amiga minha me indicou como uma possível história para um caso de amizade que virou amor.
Logicamente que meu namorado não aceitou a idéia, mas mesmo assim eu gostei de ouvir o Rubens dizer que a minha história é bonita.

Desculpem, mas não vou relatar minha história =) Todavia, comecei a pensar em quantas histórias parecidas acontecem por aí, ele disse que no programa iriam casais de homens e mulheres que pretendem ser só amigos pra sempre, porque creem (sem acento, de acordo com a porcaria da nova ortografia) na amizade entre homens e mulheres.

Eu acredito na amizade entre homens e mulheres, mas acho que isso depende muito da amizade, alguns homens preferem conversar com mulheres porque elas não ligam de ouvir os problemas deles, gostam de conversar sobre futuro, passado… em compensação, eu preciso de amigos homens para conseguir rir de besteiras, falar de nada com nada e ter companhia. Porque mulheres conseguem estar do seu lado e não te fazer companhia.

Não sei dizer como aconteceu de amizade virar amor, ou de alguns casos de amor virarem amizade, que no caso eu também me encaixo. Mas, a gente aprende que a vida apresenta surpresas, e que no fim mesmo aceitandou, ou não, você acaba se adaptando.

É fundamental em qualquer relação que no mínimo haja um grau pequeno de amizade e cumplicidade. Ouvi ou li em algum lugar, que amizade nasce no momento em que alguém te fala: – Eu também!

O post de hoje foi mais uma reflexão, deixando um link apenas do programa mulheres (para quem não sabe onde passa, por quê passa e entender que donas de casa e aposentados seriam nosso público alvo) e avisando que um link novo foi acrescentado à lista: Cavaleiro com soiltária, os textos tem jeito de coluna =D

See you guys! =D

Ps: tem outro link bom! para quem não sabe o que postar, quando quer postar:
http://www.digestivocultural.com/blog/post.asp?codigo=2181