Área de Letras:Experiência ou teoria?

7 02 2011

Tenho recebido muitos comentários do post que escrevi sobre o curso de Letras, principalmente de pessoas que já estão no

Sala de aula

mercado de trabalho e querem mudar de ramo, mas por não terem experiência se sentem empacadas, ou muitas vezes por pessoas que querem cursar o a graduação, mas se sentem retraídas de ficar sem emprego por não conhecerem o mercado de trabalho.

O que eu posso dizer para vocês é que as pessoas esperam muito de uma graduação, pensam que na faculdade você aprenderá a teoria, a prática e todos os setores em que pode atuar como profissional, e isso não existe. Primeiro porque a experiência vai de cada pessoa, segundo porque a faculdade está ali para ensinar a base e os vários ramos em que a teoria atua, tanto que se a medicina não evoluísse não teríamos a cura de várias doenças, e soluções são a mistura da teoria aplicada a uma nova prática. Com Letras é a mesma coisa, o rumo dos profissionais no mercado depende deles mesmos.

Digamos que o mercado de trabalho não é um ser que decide onde você vai atuar, é você quem decide ir atrás daquilo que acha que tem aptidão, mas temos que estar preparadas para receber vários nãos e rejeições também, porque muitos profissionais de RH não conseguem enxergar num curso as diversas possibilidades que ele tem, por isso é bom quando a entrevista é feita direta com um gestor, pois ele pode enxergar em você o que procura e ainda te deixar desenvolver, já o RH vai seguir apenas o que pedem na ficha, curso tal, requisito tal, experiência tal.

Um dos diferenciais na hora de decidir a carreira é estagiar, imagine que você está para se formar em matemática e não consegue falar em público, mas adora ensinar. O que fazer? Uma opção é trabalhar em editoras, onde você pode confeccionar exercícios para livros didáticos. Ou então, você acabou de se formar em engenharia mecânica e quer montar carros na Itália, mas não sabe italiano e nem tem dinheiro para ir até lá, uma solução é começar um curso de italiano e procurar alguma empresa que tenha sede por lá, para mais tarde tentar uma transferência. O bom profissional hoje em dia é aquele que se antecipa nas falhas do mercado em que quer atuar e persiste naquilo que gosta.

Respondendo a uma pergunta feita no blog:

“Faço o 6° semestre do curso de Letras português/inglês, e ainda não sei qual rumo seguir. No início sonhava em lecionar língua inglesa porém, o que aprendemos na faculdade não é suficiente para encarar uma sala de aula, depois me apaixonei pela literatura (eu já gostava muito), enfim gostaria que você me desse uma dica do que fazer, se faço uma pós-graduaçao, ou um mestrado”.

Nesse questionamento vemos alguns problemas:

– O primeiro rumo a ser seguido (lecionar) não é o rumo decisivo, a causa foi achar que o preparamento dado nas aulas da graduação não era suficientemente forte para encarar uma sala de aula.

Observação: Quando fazemos Letras com ênfase para ser professor (licenciatura), o preparamento se dá de duas formas, seminários e acompanhamento in loco. Ou seja, o seminário dado em sala de aula faz com que você aprenda a lidar com a teoria e a forma como vai transmitir isso aos seus alunos, o segundo são os estágios em escolas, em que os alunos acompanham algumas aulas para saber as dificuldades que vão lidar no dia a dia. Isso não é segurança nenhuma, mas quem vai ser professor sabe que não vai parar nunca de estudar e se preparar.

– Segunda parte, gostar de literatura significa que quer mudar o rumo do ensino da língua, para o ensino da literatura?

Observação: Dar aulas de língua ou de literatura significa encarar uma sala de aula do mesmo jeito, e eu ainda acho que literatura é pior. Porque a maioria dos meus colegas gosta pois interpreta  a história, o conto, o livro de um jeito e quer se aprofundar no autor, mas dar aula de literatura significa também aceitar a opinião do aluno, e ensiná-lo a conhecer as linhas críticas que há por trás de cada era literária. Há preparamento para isso? Não acho que exista.

O ponto das observações acima só evidencia que as pessoas acabam se iludindo com aquilo que esperam de uma graduação, pós, especialização. Todos os cursos que fazemos são como guias, que nos levam aonde queremos atuar. Não devemos ter medo de não saber se vamos conseguir, o que temos que ter em mente, é que se queremos algo temos que ir atrás.

E o meu conselho para a dúvida acima é: Tente dar aulas particulares, de inglês e literatura, veja qual te dá mais empolgação. Quanto a pós ou mestrado, servem para atuar lecionando em nível superior onde o aluno costuma ser mais rigoroso com o professor. Por mim, o que precisamos no país é de base, e de professores que transmitam a paixão de estudar para os alunos.





Por dentro do futebol… americano (Guia para namoradas)

20 01 2011

Vamos abrir o ano no blog falando sobre coisas novas, pelo menos para mim e recentemente para o Brasil, que oficializou a associação de futebol americano brasileiro no ano passado. Mas, como assim eu vim parar em futebol americano? Pois é, influências do namorado parte II. Em algumas noites de sábado, outras tardes de domingo (pelo fuso, porque lá é Sunday Night Football) e no Monday Night Football (literalmente noite de segunda do futebol) muitos brasileiros têm acompanhado a liga nacional de futebol americano que passa na TV paga, e conhecida como NFL.

Eu só conhecia o esporte através de filmes americanos, e sempre naqueles momentos decisivos onde faltava aquele “touchdown” ou o ponto extra do chute para decidir o jogo, aliás, a maioria das pessoas só deve saber isso quando se fala em futebol americano, um bando de trogloditas que se empurram e pulam um em cima do outro por causa de uma bola em formato de amedoim (visão da maioria das mulheres que acompanham os jogos no começo).

No entanto, depois que a gente começa a entender as regras, o jogo começa a ficar interessant

Campo de Futebol Americano

e e em muitas vezes emocionante. O objetivo dojogo em si é simples, o campo é composto de 120 jardas de comprimento, a linha de gol

fica a 10 jardas da linha final do campo de cada time, fazendo a meta para alcançar o touchdown ser de 100 jardas para cada time, os times em campo precisam avançar a maior quantidade de jardas para conseguir levar a bola até a endzone, onde é marcado o touchdown. No final do campo também há uma trave em formato de Y, e que após o touchdown dá a chance à equipe de conseguir mais um ponto tentando um extra point, e ainda há a opção, além do extra point, de se fazer dois pontos tentando um minitouchdown. A equipe que somar mais pontos (touchdown, field goal ou safety) ganha a partida.

Já o tempo é composto teoricamente de 60 minutos, dividido em duas partes que são separadas por um intervalo, e dentro dessas duas partes, mais duas partes, ou seja, quatro quartos de tempo (15 minutos cada) há mudança de campo ao fim dos quartos ímpares. Para iniciar a partida, cada meio jogo e o jogo após um Field goal (o chute que a equipe tenta, quando não consegue chegar perto o bastante para se fazer um touchdown, e que se acertar, vale 3 pontos), é dado o chute inicial, ou kickoff, onde um jogador segura a bola no chão e o chutador lança a bola com um chute o mais longe que puder (mínimo de 10 jardas) para ajudar o time a avançar em direção à endzone. Em relação às jogadas, o jogo é feito de táticas e muita estratégia, visto que o time é composto de até 53 jogadores que combinados entre si dividem posições e treinam diferentes jogadas.

As principais posições são:

Quarter Back (ataque): O cara mais importante do jogo é ele quem decide para quem deve lançar a bola (ou às vezes é ele mesmo quem vai adiante na jogada) – no caso ele é tão importante que se ele joga a bola para o Chico (exemplo), e o Chico faz o touchdown, o touchdown não foi do Chico e sim do quarterback, quando meu namorado me explicou isso fiquei revoltada.

Wide-receivers (recebedores): esses tentam adentrar pela defesa do time oposto, e quando conseguem ficar livres, são um dos alvos dos passes dos QB.

Tigh- End (recebedores): ele ajuda a empurrar para garantir a defesa, mas quando fica livre também serve como alvo de passes.

Half-back  e Full-back (running backs): recebem a bola do QB e correm para a endzone.

Center, Guard e Offensive tackle (defense): ficam na linha e realizam a defesa, basicamente (tem uma explicação para cada um, mas garanto que a jogada é tão rápida que vocês não vão conseguir distinguir todo mundo na linha).

A cada tentativa para avançar as jardas cada time conta com 11 jogadores em campo, e em cada jogada eles trocam a linha de defesa, e os jogadores que  farão parte da tática, por isso vemos vários caras ao lado do campo com microfones e uma folha com as jogadas, que são os coordenadores, assistentes e head coachs que coordenam os times. Acho que é basicamente isso o início para acompanhar os jogos, ainda faltam regras, penalidades, mas é questão de acompanhar mais, é nessa hora que a gente tem que prestar atenção. Infelizmente os jogos não passam na TV aberta, mas quem tem TV a cabo pode acompanhar pelo BandSports ou ESPN, e tem outros meios que em comunidades de Orkut sobre futebol americano eles explicam como faz, risos.

Os últimos campeões desde 2005 são: Pittsburgh Steelers (2005 e 2008), Indianapolis Colts (2006), New York Giants (2007), New Orleans Saints (2009) e estamos aguardando a decisão de 2010 =)

Eu deveria estar torcendo para o Vikings, mas como meu namorado disse eles não tem mais chances, então resta acompanhar as finais, e ver

Vikings

quem se sai melhor. Aliás, isso é outra coisas para um segundo post, entender como funciona a classificação da NFL, e falar também da liga universitária.

Aqui no Brasil, o esporte anda ganhando força, e até times de futebol brasileiro tem times de futebol americano, como o Corinthians Steamrollers, o Santos Tsunami e outras ligas menores que acontecem pelo país, como o que eu conheci recentemente que fazem parte do Caipira Bowl, incluindo o recém convidado Taubaté Big Donkeys (para esse eu realmente preciso torcer).

Depois faço a parte II do Futebol Americano – Guia para namoradas, se alguém ler o post e tiver sugestões e contribuições, fiquem à vontade.

Tem um blog que sempre acompanha os jogos, e é bom dar uma olhada também:

http://diarionfl.com/





Os números de 2010

4 01 2011

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Este blog está em brasa!.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 7,300 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 18 747s cheios.

 

In 2010, there were 17 new posts, growing the total archive of this blog to 63 posts. Fez upload de 50 imagens, ocupando um total de 33mb. Isso equivale a cerca de 4 imagens por mês.

The busiest day of the year was 18 de novembro with 65 views. The most popular post that day was Na onda colorida dos esmaltes.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram pitocadearroz.com, twitter.com, google.com.br, search.conduit.com e caetano.eng.br

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por sites de descontos, simbolo do curso de letras, o basculante, curso de letras e supernatural

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

Na onda colorida dos esmaltes novembro, 2010
1 comentário

2

Profissão: Letras março, 2009
19 comentários

3

Reforma no curso de Letras janeiro, 2010
2 comentários

4

Sites de descontos outubro, 2010
1 comentário

5

A importância dos seriados fevereiro, 2010
7 comentários





Dê um natal melhor para quem nem sempre soube o que é o Natal.

23 11 2010

Todo ano é a mesma coisa, crianças acreditando e outras desacreditando em Papai Noel. O senhor Nicolau, que é o nome do São Nicolau da onde dizem ter originado a lenda do bom velhinho, ajudava os pobres e necessitados financeiramente, dizem que através de sacos com moedas de ouro que jogava através das chaminés das casas. A lenda tomou força na Alemanha e foi evoluindo até o que temos hoje em dia, que já nem sei mais se tem a mesma magia ou não.

Quando eu era criança era uma dureza ficar acordada até depois das 21hs da noite, então era muito fácil falarem que o Papai Noel tinha passado e deixado meu presente, mesmo que eu soubesse que quem dava presentes era a minha tia e a minha avó, minha mãe gostava de dizer que eu devia fazer um pedido para o bom velhinho, que ele iria concretizar. Acho que escrevi uma carta ou outra, deixei de acreditar cedo com 5 anos de idade, assim que vi meu tio se trocando no quarto.

Hoje em dia, quando a gente vira adulto sabe que natal tem todo o significado cristão de união entre família e entes queridos, e que de certa forma, o nascimento de Jesus trouxe outra forma do mundo acreditar na vida. Não sou religiosa, mas é isso que entendo por natal, de forma bem sucinta.

Dar presentes para mim só tinha sentido porque Jesus nasceu e cada um dos reis magos deu um presente para desejar coisas boas para ele, hoje em dia trocar presentes é sinal de economia aquecida, amigo secreto, rabanada e décimo terceiro.

Mas, ainda há pessoas que acreditam que o espírito natalino traz mais do que economia aquecida, ou presentes caros. Existem crianças por aí que só querem comer um panetone de presente de natal. Por isso, eu achei bem legal divulgar aqui no blog a campanha dos Correios: Papai Noel dos Correios.

Papai Noel dos Correios 2010

Existem duas formas de você ajudar:

– Lendo e respondendo as cartinhas endereçadas ao Papai Noel;

– Sendo um padrinho e realizando o pedido de presente de algumas cartinhas.

No site há um histórico dessa campanha realizada há mais de 20 anos, e instruções de como proceder com as cartinhas. Eu ainda não sei se respondo, ou se vou adotar umas cartinhas, mas espero que vocês que estejam lendo isso divulguem a campanha também.

O melhor presente de alguém, é poder fazer outra pessoa feliz.

A campanha teve início no dia 5 de novembro e terminará no dia 20 de dezembro.





Na onda colorida dos esmaltes

18 11 2010

Esmaltes, aos montes - By Maiara =*

Essa semana que passou pedi às minhas amigas que fizessem uma listinha de presentinhos que mulher precisa e gosta para que pudéssemos trocar simbolizando o natal. A Maiara mandou a lista mais colorida que eu já vi, até brinquei que parecia lista de uma garota de 12 anos, mas tem sido uma das mais divertidas de ir atrás.

Um dos itens da lista dela são vidrinhos de esmalte, que a gente compra uma cor ou outra quando acaba aquela cor que quebra galho e combina com todas as roupas. Mas, ao pesquisar as cores que ela quer, e a marca importada que tem feito sucesso por viciadas em esmalte, até eu me empolguei. Existem diversos, inúmeros, coloridíssimos blogs de meninas, mulheres e fãs de esmalte que dão dicas, misturam tendências e mostram aquilo que está na moda. Não agüentei e fui atrás de duas cores que eu queria, amarelo e um tipo de rosa meio fosforescente, comprei os dois daquela marca Mohda, por R$1,60 cada, recomendo: Shortinho 026 (amarelo) e Balone 028 (rosa fosforescente).

Fui atrás para saber como surgiu essa mania feminina pelo esmalte, aqui chamamos de esmalte de unha, em português europeu é verniz de unha, em inglês nail polish, em espanhol esmalte de uñas, em francês vernis à ongles. Segundo o Wikipédia (mesmo que não seja 100% confiável, a gente acredita), já havia origem de cuidados com as unhas no Egito, Roma e China antes de Cristo. Uns tingiam, outros poliam, deixavam crescer, perfumavam, até que em 1925 lançaram um protótipo de esmalte rosado, mas que não se pintava a unha inteira.

O primeiro esmalte que conhecemos nos dias de hoje foi lançado pelos irmãos Revlon em 1932 (quando a marca nasceu). Houveram modificações na fórmula nos anos 70 e 80, para a duração fosse maior, e outros apetrechos pudessem ser misturados, como glitter.

Hoje em dia há salões especializados em cuidados com as unhas, efeitos de pintura, linhas novas com cores diferentes, tendências que vem e que vão, e a mulherada adora. Alguns homens costumam pintar as unhas com base também, para proteção, menos Cristiano Ronaldo que pinta de preto as unhas do pé e até hoje não pude pensar numa boa justificativa.

Se você jogar esmalte no Google, milhares de blogs de dicas vão aparecer, daí a gente fica louca com as cores que as blogueiras testam e saímos atrás dos benditos em perfumarias na hora do almoço (isso para pintar as unhas que duram em média uma semana).

Segundo o que pude investigar hoje, as cores do verão são compostas de tons fosco, holográficos e até 3D. Só não descobri ainda como é que faz para combinar as unhas com as roupas, porque eu ainda não consigo usar uma camisa vermelha com as unhas roxas, para mim não dá, não combina.

Vou fechar o post com uma listinha de blogs legais sobre esmaltes:

http://tudosobreesmaltes.com/

http://cantinhodoesmalte.blogspot.com/

http://tani-p.blogspot.com/

http://www.nosamamosesmaltes.com/

http://www.viciadasemesmaltes.com

http://www.loucasporesmaltes.com.br

http://www.maofeita.com.br/





PAC para as regiões norte, nordeste e centro-oeste do Brasil

4 11 2010

Ontem li no site da UOL um destaque que falava da Mayara Petruso e sua xenofobia contra os nordestinos, daí fui tuitar que eu acho que esse rebuliço todo é uma perda de tempo e teve gente que disse que racismo é crime e precisa ser combatido como os outros tantos crimes que existem por aí. Sim, racismo é crime, mas não para causar tanto rebuliço pela internet e mídias.

Racismo e xenofobia acontecem todos os dias e em todos os lugares, na internet, nas ruas do centro, no ônibus, no metrô, nos mercados, nas ruas, em todos os lugares. O que eu acho uma burrice foi a menina falar o que ela pensa como se estivesse certa, divulgar em twitter aberto e em redes sociais que se disseminam de maneira rápida, ou seja, ela quis ser ouvida e conseguiu. Mas, para punir o racismo e a xenofobia dentre várias classes e raças dentro do Brasil não basta prender a pessoa, fazer isso virar manchete ou demiti-la, isso só vai causar mais ódio dela em relação a quem ela tem o preconceito.

 

Em um dos comentários a favor do que a Petruso escreveu uma pessoa denominada “Paulistana com orgulho” disse que o centro de São Paulo é feio porquê está cheio de gente mal educada vinda do nordeste, os culpa por sujar as vias e poluir as ruas com comércio ilegal. Só que as pessoas não param para pensar no por quê tudo isso acontece, limpar as vias é uma responsabilidade da prefeitura, assim como fiscalizar o comércio ilegal e colocar maior rigor na migração de pessoas entre estados e cidades. Muita gente vem de todos os lugares do Brasil para o sudeste em busca de boas oportunidades, porque eles querem sim trabalhar, mas nenhuma região é tão desenvolvida e próspera como a região sudeste. A quem devemos culpar? O governo. O povo do norte e do nordeste vota em quem acredita que possa fazer a diferença, para que eles não precisem sair de onde vivem em busca de melhores condições. Vira e mexe no programa do Gugu ou do Celso Portioli vemos famílias de migrantes que vieram para cá, viram que não há oportunidade para todos e não conseguem voltar porque não tem dinheiro, resultado: acabam passando fome, ficam sem trabalho e sem lugar para morar.

Outros comentaram que os nordestinos vêm para cá para virarem empregados da gente, e que mal há nisso? Pelo menos conseguiram emprego e querem trabalhar, nenhum deles sai de perto da família, da terra de onde nasceram para fazer nada aqui. Tiram nossos empregos? Não acho. A maioria fica com empregos que não exigem muita formação, ou que é algo mais operacional, e duvido que haja paulistano de classe média que vai querer essas vagas.

No meu ponto de vista a gente deveria incluir na educação de base a disciplina da cidadania, que ensina a conviver em sociedade, a respeitar leis e direitos e principalmente educação, isso reduziria o índice de racismo e xenofobia (que inclui raças, classes, machismo, dentre outras várias formas em que isso se dissemina). Depois, deveria fazer um PAC da região do nordeste, norte e centro-oeste para gerar mais empregos e qualidade de vida para que não houvesse tanta migração de pessoas, e assim o país como um todo se desenvolvesse. Sabemos que de certa forma o governo quer que os pobres continuem pobres para prometer pouca coisa e ganhar votos, mas eu sei que existem pessoas como eu que acreditam no país e que vão conseguir fazer a diferença.





Sites de descontos

23 10 2010

Em meio ao meu navegador, browser e echofon eu costumo prestar pouca atenção aos pop-ups da vida, não sei se é algo que meu cérebro já se

Poupando dinheiro, saindo mais

Poupando dinheiro, saindo mais

acostumou a não prestar atenção, ou se é de mim mesma. Fato é que andei prestando atenção no Orkut, facebook e até no meu site de dicionário online que costumo consultar no trabalho, todos eles tem divulgado cupons de descontos de diversos sites para conhecer e freqüentar diferentes lugares.

E eu achei isso demais. É demais porque faz com que a gente saiba que existem lugares que a gente nunca pensou em nem sequer perguntar para não ter aquela impressão de ‘pobre’, ou de ‘universitário sem dinheiro’ (que a maioria de nós somos), e o lugar que muitas vezes tem coisas acessíveis perde possíveis clientes. Uma das coisas que reparei quando viajei e que sempre comento é que São Paulo não sai perdendo em atrações e variedade das cidades de Londres e Paris, principalmente em baladas, moda, cultura e gastronomia. A diferença é que muito mais gente freqüenta esses circuitos por lá e por aqui existe o pré-conceito de que as únicas pessoas que podem pagar por um pouco a mais de luxo, não são as de classe C.

Por conta disso sites como: Peixe Urbano, Clube Urbano, Kekanto, Guia Mais, Privalia dentre outros ganham cada vez mais usuários e seguidores, para conseguir acesso à aquilo que muitas vezes é para poucos.

O esquema de todos os sites geralmente é o mesmo, eles colocam as principais ofertas do dia em destaque para chamar usuários, os interessados de cadastram e recebem todos os dias descontos que podem ser fechados se determinado número de pessoas também quiserem a promoção em questão. Meu chefe conseguiu uma sessão de massagem por R$40,00, uma hora de duração, minha amiga conseguiu um pacote de drenagem linfática, minhas outras amigas vivem conseguindo acessórios de marca e jantares em restaurantes cools por preços mais em conta.

Eu gosto de escrever resenhas nesses sites para compartilhar os lugares que eu vou e recomendo, assim todo mundo pode mudar o Faustão de domingo e ir atrás de coisas diferentes para fazer.

E vocês? Indicam mais sites que dão descontos que valem à pena?

Via twitter eu vi que existe a sátira Pobre Urbano, muito bom.