Sobre velhos hábitos

9 08 2009

Outro dia estava conversando com meu namorado sobre como São Paulo é grande e diferente de outras cidades do Brasil, que as vezes até parece estrangeira. Numa dessas pautas, eu lhe disse que não sei identificar os prédios famosos de São Paulo, que não sejam históricos. Quando fomos para o Rio, o taxista nos informou que aquele prédio com formato esquisito perto da estação de bonde de Sta Tereza era o da Petrobrás, quando muito eu sei dizer onde fica o MASP (sim, uma vergonha para uma paulistana nata).

Daí, que com meu namorado, que nem é de São Paulo, aprendi a gostar de corrida de cavalos, não tanto como ele gosta, mas me tornei simpatizante, o Jóquei Clube de São Paulo é um lugar muito lindo, ali na Cidade Jardim. Fui entrar mesmo ano passado, porque como muitos, eu tinha a vaga idéia de que era algo totalmente elitizado. Mas, se você for ver mesmo o restaurante de lá serve até sanduíche por uns R$15, e cada aposta tem o valor mínimo de R$2 (no começo é mais fácil jogar só no vencedor, haha).

Essa era a égua que eu joguei, mas não ganhou.

Essa era a égua que eu joguei, mas não ganhou.

Não estou tentando convencer você leitor a ir até lá apostar, tanto porque eu achava que era só gostar de um nome e fazer uma fezinha (o que é deveras equivocado, visto que há estatísticas, todo um estudo e um jargão que eu ainda custo a entender), mas estou tentando dizer que toda cidade tem seus encantos e hábitos. O jóquei de São Paulo foi fundado em 1875, primeiramente na Mooca, quando as apostas ainda eram feitas em contos de réis. Anos mais tarde, em 1941 é que o Jóquei da Cidade Jardim nasceu. Passou pelas revoluções da cidade, por presidentes diferentes, teve seus momentos de ouro, de quase falência e hoje em dia está recuperando seu brilho. E ainda tem gente, que pensa como eu pensava, risos. Acho que tudo acaba fazendo parte da história do local, cabe a nós querermos ir até lá conhecer.

Moro perto do museu do Ipiranga, acho que fui lá tantas vezes que nem sei dizer o número, mas é só por que é coisa de bairro. Sou a favor de cultivar os velhos hábitos, de instigar a cultura de um local e de reviver épocas, mesmo que por algumas horas. Não é o material que constrói uma pessoa, e sim aquilo pela qual ela passou e aprendeu.

Dei conta só esses dias que há muitos lugares em São Paulo que eu nem sei como ir e onde fica, e fico eu sonhando em conhecer outros países, quando mal saberei dizer aos estrangeiros as belezas da minha terra. E você? Quais os lugares por onde passou ou gostaria de passar  em sua cidade? Compartilhe, é assim que se semeia a vontade de conhecimento.

Um dos ângulos do JCSP

Um dos ângulos do JCSP

Ângulo parecido, só que do JCRJ

Ângulo parecido, só que do JCRJ

Anúncios

Ações

Information

2 responses

12 08 2009
Tati

Hum, então corrida de cavalos não é coisa de madame? Rsrs. Engraçado é que existe um “point” de jóquei perto da casa da minah avó no subúrbio do Rio de Janeiro, e nem tinha me ligado. Se coisa chique só existe em bairro chique, então corrida de cavalos é mais pop do que eu pensava, haha.
Aqui em Brasília eu conheço muito da história da cidade, dos lugares, até porque “Bsb” tem só 49 anos e é um lugar pequeno. Então, se algum dia você vier pra cá, pode me colocar como sua guia de turismo!! xD~
Eu fui a São Paulo uma vez, conheci o Parque do Ibirapuera e andei um pouquinho na Paulista. Queria ter ido ao MASP e ao Museu da Palavra, queria ter fotografado os prédios da Paulista e seus projetos arquitetônicos (eu enlouqueço com isso, passo horas tirando fotos!), mas ainda não tive a oportunidade de voltar.
Comparando Brasília com São Paulo, existem diferenças gritantes, que acho eu até justificam você não conhecer tanto sua cidade: a ‘idade’ de cada cidade, as atividades desenvolvidas, as influências culturais, etc.
Bem, pelo menos você tem uma cidade para descobrir… eu já desencantei desse “avião” aqui =P
Um beijão!

13 08 2009
sil

Hey beauty,

Não é que descobri que não sou só eu que não conheço os pontos turísticos de sampa?hahahaha
O jóquei eu já fui uma dúzia de vezes pra almoçar, mas apostar em cavalos me é meio monótono…:) não tenho paciência.O museu do Ipiranga estou tentando ir desde que cheguei em São Paulo, quase vinte anos atrás,hahaha, só fui conhecer o Museu da língua Portuguesa(que é demais!!) porque fui num coquetel.Acho que preciso de incentivo,hahaha.Em sua homenagem tentarei ser mais turista e conhecer melhor a cidade.
bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s