Conteúdo a nova área da Comunicação

24 03 2014

Como na moda o mercado de trabalho adora repaginar cargos e funções, justamente por que ele está em constantes transformações e demandas. Quando fui atrás de cursar Letras os cargos em que o pessoal formado em bacharel trabalhava eram: redator, editor, tradutor e revisor, basicamente no meio impresso e parte mudando para o digital.

Imagem
Conforme os anos foram passando, o profissional do texto (letrado ou jornalista) começou a ter uma transformação desses cargos, mudando para: redator web, analista de comunicação, redator publicitário, editor web. Isso, mais ou menos, em 2011/2012. Com o crescimento da internet e das redes sociais, o cargo de web acabou ganhando concorrência, e o profissional do texto se viu em novas transformações como: assistente/ analista de conteúdo, assistente/ analista de mídias sociais, editor de mídias sociais, revisor publicitário, revisor web.

E o que agora é pior do que antes, não só de Letras e Jornalismo vive esse mercado, mas agências digitais surgiram e começaram a exigir em requisitos que os profissionais do texto, agora chamados de conteúdo, fossem formados em Marketing. Isso mesmo.
Fui investigar a grade de alguns cursos de marketing puro, não atrelados a Publicidade e Propaganda, e descobri que eles não têm matérias que trabalhem com textos, os diferentes tipos de texto/ público alvo, diferentes tipos de linguagem, e até mesmo, cobertura de eventos. Mas, então, por que esses profissionais estão sendo consumidos avidamente nessa área, já antes disputada? Erro de Recursos Humanos.

Para um trabalho qualificado com o texto uma equipe precisa ter alguém que planeje a campanha/ estratégia, alguém que ajude a divulgar o projeto e alguém que desenvolva esse conteúdo. O que se nota do mercado é que eles acham que o profissional de marketing sabe escrever e fazer tudo isso descrito acima por apenas um salário. E a qualidade do trabalho final, nem sempre agrada.
O curso de Letras e de Jornalismo ensina os profissionais a lidarem com o texto em suas diferentes formas, em mídias diferentes. Na minha grade estudei textos em jornais, revistas, sites, livros, panfletos e como a linguagem era abordada em cada um desses meios. Tive um ano de teoria do texto, além de estudar os fenômenos da língua e suas transformações. O conteúdo de sites e mídias sociais nem sempre precisa de um redator publicitário, mas sim, de um jornalista/ letrado que saberá colocar informações aos consumidores. Linguagem conativa não é tudo no mercado de comunicação minha gente.

Hoje enfrento dificuldade em encontrar vagas que reconheçam os profissionais do conteúdo como letrados e jornalistas, e tenho pensado em fazer uma pós em comunicação e marketing para ver se consigo entrar nessa concorrência. Meu apelo com o post é de conscientizar os profissionais dos recursos humanos a considerar que para uma vaga de conteúdo nem sempre o marketing será a solução, é bom que busquem ler e entender as disciplinas e grades dos cursos atuais, além de levar em consideração cursos extras, experiência profissional e vontade de se desenvolver do profissional.

Quem faz Letras nem sempre quer ser professor, e quem faz jornalismo nem sempre que ser assessor de imprensa, ou âncora. Vocês poderiam ser mais dinâmicos?





Você é aquilo que você ouve?

3 10 2011

Acho que uma das perguntas que eu mais detesto responder é: – Que tipo de música você ouve? Não porque eu não goste de alguma coisa decente e tenha vergonha de responder, mas é que já passou da época da minha vida em que o que eu ouvia fazia meu estilo de ser, acho que adolescentes buscam identidade naquilo que ouvem, em alguns casos acredito que dá tão certo que a pessoa continua com aquilo até morrer.

Mas, ao contrário de ser aquilo que você come, eu não sou aquilo que eu escuto, porque eu ouço tanta coisa, desde o pop mais chiclete até o heavy metal mais pesado, porque isso depende do meu estado de espírito, e não exatamente daquilo que sou. Com a última edição do Rock in Rio pude sentir isso de uma forma mais concreta, pois veja que eu assitiria o show da Katy Perry, Shakira, Motorhead, Metallica, Slipknot, System of a Down, Cold Play, Maroon Five, Guns & Roses e até Britney Spears se ela viesse, e se alguém pegar meu ipod vai ver que não é mentira, mas agora imagina se eu me vestir como a Katy Perry, usar máscara como os caras do Slipknot, dançar que nem a Shakira pela rua e ligar para meus amigos gritando que nem o System of a Down?

Chris Martin arrasa no palco

Muita gente diz que é eclético, acho que como a Juliana Paes disse ao Multishow isso virou moda, mas o fato é que a gente precisa estar aberto a sons e ritmos novos, e ir colocando na playlist aquilo que faz com que a gente se sinta bem sem se importar com o que os outros vão pensar de você.

Sobre o Rock in Rio eu não pude nem pensar em ir desde o começo, estou sem job desde Abril e qualquer gasto a mais me faz virar nos 30, mas confesso que vibrei muito com o show do Cold Play, e espero ter grana e emprego da próxima vez que eles vierem, o Chris Martin anima muito em cima do palco e as músicas deles são sensacionais. Adoro uma banda britânica hahaha.

E vocês, são do tipo que vão viver um estilo de música, ou preferem achar o que vocês são e ouvir tudo aquilo que gostam??

Essa dança muito.





Novo blog na área

14 09 2011

Nossa, primeiro preciso pedir desculpas para os leitores do Basculante, é que o WordPress enviou email há um mês dizendo que em um processo de manutenção deles algumas senhas sofreram risco de exposição e a minha estava entre uma delas, só que para mudar e resetar a minha senha tive que dar umas voltas e acabei tocando um projeto paralelo que há algum tempo eu havia comentado por aqui.

Todo mundo que lê o blog sabe que eu cursei Letras na USP, que saí do emprego (ainda estou sem nenhum, se interessar a alguém), e que além de estar procurando, também tenho feito freelas de textos, o que soma um tempo do meu dia, porque afinal, também preciso pagar contas. Daí, que tomada pela onda de blogs de moda e pelo meu fascínio pelo assunto, acabei criando o blog Zíper Chique, um blog que fala só sobre moda e beleza, não apenas no mundo das roupas e acessórios, mas também de assuntos diversos que estejam na moda. Como o WordPress é uma plataforma muito massa, mas que não deixa colocar anúncios para a gente ganhar dim dim, tive que migrar de volta para o Blogspot.

Então, eu vou continuar com os dois blogs, esse falando de conteúdo que der na telha e o outro em uma pegada mais séria na tentativa de engatar algum patrocínio, parceria, e dinheiro. Se vocês puderem ajudar, e para aquelas e aqueles que se interessam, por favor deem uma passadinha por lá e ma ajudem a aumentar as visitas, quando eu alcançar uma média de 100 visitas por dia, vou colocar o Google Adsense.

De qualquer forma, obrigada pelas visitas e pela força. Bjão!





Celebridades de pano de fundo

29 07 2011

Muitas vezes ouvimos seus nomes, conhecemos seus personagens, mas podemos comprar pão na mesma padaria da pessoa, sem saber o sucesso que ela faz por de trás dos panos.

Estava vendo a matéria nova com o Ashton Kutcher que ficará com o papel que preencherá a lacuna deixada por Charlie Harper (snif, snif), e relembrando o motivo, veio o nome Chuck Lorre. O autor do seriado, o verdadeiro responsável pelas frases célebres do personagem, e eu diabos sei reconhecê-lo na rua?
Então fui atrás, pois estou disposta a tirar o tempo de atraso do blog, hehehe e acho que é interessante saber isso. Daí, pasmem, além de Two and a half men ele também é o escritor de The Big Bang Theory (Penny, Penny, Penny) e de Mike & Molly, ou seja, ele é um gênio das tiradas que a gente tanto gosta. A foto do dito cujo é essa abaixo, e além de escritor ele também é diretor, compositor e produtor, quer mais? Mas, a fama dele mesmo surgiu quando ele começou a brigar com o Charlie Sheen, por isso se alguém o vir pela padoca em Nova York tira uma foto e manda o link.

Chuck Lorre - 2 and a half e Big Bang

Outra que todo mundo sempre fala e eu conheço de nome, vi em um dos filmes uma representação da vida dela (O Diabo veste Prada) é a Anna Wintour, a editora-chefe da Vogue americana e que dizem que é um docinho de pessoa, assim, que nem no filme. Saindo do mundo fashion, certeza que ela só ficou conhecida pelo filme, e a nossa top Gisele foi elogiada por ela antes de fazer sucesso, a mulher prevê a moda também.

Anna Wintour - Miranda Prisley

E por último, para o post não ser longo e cansar, fui tentar descobrir quem é o Louro José da Ana Maria Braga. O Google é lindo e eu descobri que o responsável pelo boneco é o Tom Veiga, mas não deu para saber mais sobre o Tom, só sobre o Louro, que existe desde 1997 e é o parceiro master da Ana. Enfim, mais um post que eu acho interessante divulgar, e eu peguei todas as imagens do Google.

Tom Veiga - Louro José





Qual a diferença para uma Miss no mundo?

23 07 2011

Em época de decidir quem será a próxima miss Brasil 2011, a gente para e pensa: será que há algo a mais por trás de um concurso de beleza?

Nas últimas semanas a maioria dos portais brasileiros tem exibido fotos de mulheres bonitas eleitas as mais bonitas de seus determinados estados, isso porque antes foram as eleitas das cidades. A rede Bandeirantes de televisão é a responsável por exibir o concurso do estado e do país, e depois o concurso Miss Mundo. Tá, mas e aí? Há tantas mulheres bonitas por aí e que nem sabem ou podem participar do concurso de miss, isso chega a ser importante para quê? Eu que quando posso assisto e chego a torcer, parei esses dias para refletir sobre isso pensando se não estava apoiando algum evento de futilidade e discriminante já que para ser miss há medidas a serem seguidas, que digamos uma boa porcentagem da população feminina não possui. Daí, fui pesquisar, pois precisava: a) atualizar o blog, b) descobrir isso para ter mais cultura, mesmo que seja inútil e c) escrever numa noite de sexta, já que o namorado está em reunião de trabalho.

Miss Simpatia Sandra Bullock

Tentei uma pesquisa rápida esperando encontrar alguma coisa parecida com o filme da Sandra Bullock “Miss Simpatia”, que mostrou os problemas vividos por cada garota para estar ali, o que significava para cada uma delas e que o prêmio dava oportunidades para cada uma fazer a diferença no mundo, e claro, de alcançar a paz mundial. Aqui no Brasil quando o concurso Miss Brasil surgiu nos meados dos anos 50, ele alcançava uma boa audiência, o intuito era encontrar uma mulher que representasse para o concurso Miss Mundo a beleza nacional, com a ditadura militar algum tempo mais tarde, o programa de misses sofreu toda a decadência e queda de prestígio. Desde a TV TUPI até os dias de hoje o concurso sofreu altos e baixos, mas nos últimos anos tem revelado beldades e ganhado telespectadores. Para participar do concurso há algumas regras:

– Ser brasileira, maior de idade, não ter filhos, nunca ter exposto partes do corpo em fotos nuas ou semi-nuas, ter no mínimo 1.70m (a realidade brasileira é essa, claro), ter no máximo 26 anos.

– Além dos três primeiros lugares há ainda o título de Miss Simpatia e Miss voto popular. Esse ano aqui o prêmio em dinheiro ao primeiro lugar é de R$200 mil mais um carro 0 km (bons motivos para tentar participar). No concurso estadual a primeira e segunda ganhadoras ganharam uma viagem e a terceira um curso de inglês (Miss São Paulo, não sei se foi o mesmo para os outros estados).

Ok já descobri um pouco da história, de como participar, dos prêmios, mas

Miss Brasil 2007

importância ainda… Quando achei a história do concurso Miss Universo descobri um juramento feio pela vencedora que diz que é dever delas espalhar a mensagem de paz e entendimento mútuo, parece trabalho de princesa para quem não tem sangue real. Fiquei tentando lembrar se vi alguma coisa da Natália Guimarães (Miss Brasil 2007) enviando essa mensagem depois que ela quase ganhou o Miss Mundo (perdendo da japs), mas veio de tudo na memória, até lembrar que ela namora com o Leandro do KLB (se o grupo existe ainda) e apresenta um programa de TV em Minas, ou a Renata Fan (Miss Brasil 1999) que apresenta um programa de esportes. Se o dever de uma miss é ajudar na paz, acho que as ações em que elas colaboram deveriam ser mais divulgadas, senão na minha memória só vou conseguir associar o concurso a uma competição de beleza sem fins benéficos. Mas, vamos torcer esse ano para ver se ganhamos o Miss Mundo, porque se depender do futebol, está difícil, hehe.

Miss Brasil: 23 de julho de 2011, pela Band
Miss Universo: 12 de agosto setembro de 2011, em São Paulo.





Basculante de cara nova

20 05 2011

Só para avisar aos leitores, o blog é o mesmo, mas com cara nova! Como estou para estrear fase nova na vida (de quando é quando é bom, mesmo para os taurinos resistentes) resolvi mudar o template e em breve adicionar mais trabalhos ao portfólio, porque afinal, agora que estou para me formar é bom ser gente grande, e eu já trabalho como uma.

Em breve posts novos também, sobre área de letras, moda, atualidades e o que der na telha.

Beijo!





Roupas e mulheres

30 04 2011
Fascinator

Kate Midleton e o Fascinator

Oi gente, abanando a poeira do blog e aproveitando o burburinho do casamento real (que eu adorei), eu aqui navegando na internet por vários outros blogs e sites, resolvi comentar também sobre roupas, mas não no casamento, e sim no cotidiano feminino.

A rainha vestiu amarelo, a princesa Kate escolheu vestido rendado, os fascinators tomaram conta da cabeça das convidadas, o povo vestiu a bandeira no corpo, e nós plebeus acompanhando os detalhes do figurino do casamento do século – como muitos estão dizendo.

Meu fascínio por roupas começou mesmo na adolescência, quando a gente vê que existe vida social indo ao shopping com as amigas, ao invés de ir com a mãe. Mas, como eu não tinha muito dinheiro a idéia de me vestir melhor ou tentar seguir a moda ficava apenas no mundo imaginário. Com isso fui crescendo, a moda foi mudando, fui me atualizando e hoje em dia eu tenho a mania de ter várias bolsas, sapatos e roupas de diferentes estações e com detalhes da moda (que caiam bem em mim, claro), bem mulherzinha mesmo.

Porém, agora estou passando por uma fase resumida assim: sem estágio, sem horário livre para trabalho integral, provas de fim de curso e budget limitado para pagar contas e viver por conta própria por 3 meses (até o bendito diplominha parar nas minhas mãos). Sendo assim, a consultoria para as amigas continua, mas a minha ida aos shoppings fica restrita. Lendo em uma revista na academia eu achei um blog que teve uma idéia maravilhosa, é a Jojo do blog Um ano sem Zara, que decidiu ficar sem comprar roupas por um ano para recuperar a conta bancária e aprender a não sair comprando o mundo por aí. Quem tem low budget, ou está como eu sem poder gastar até achar outro meio de ganhar o dim dim nosso de cada mês, vale a pena dar uma olhada e tentar imitar a criatividade.

Eu resolvi apelar para os acessórios para mudar roupas básicas e mudar looks que eu já tenho formado, uma coisa que eu aprendi com o blog da Jojo é que mulher tem mania de usar apenas uma parte do guarda-roupa sempre com a mesma combinação, e a gente tem que fazer tipo um crossing-over entre os looks, que no fim vamos ver que temos mais possibilidades do que pensávamos que tínhamos. Fui pedir uma dica para a ma-ra Isabela Fiorentino na coluna dela na veja Toda Bella, e não é que a flor me respondeu? Dei pulos de alegria, confiram a dúvida e a resposta: http://vejasp.abril.com.br/blogs/todabella/2011/04/18/como-destacar-acessorios-vintage/

Mais para frente pretendo criar um blog só sobre isso, descobri que me acalma e que aprendo muito sobre mim e sobre os outros com a forma de se vestir. O Basculante é mais para devaneios de assuntos mais diversos, mesmo que eu coloque nele uma poerinha de quando em quando.

Até o próximo post! =)